“A Chave Do sucesso É A Autenticidade”

Aterrissou em Los Angeles há 11 anos com duas malas cheias de sonhos. Nada mais. Hoje, pouco mais de uma década depois, dirige uma produtora que não pra de gerar projetos. Trabalhou para Sony, Warner ou a EMI e prontamente trabalhou com estrelas brilhantes do intervalo de Elsa Pataky, Gloria Trevi ou Pau Gasol. No entanto não foi um caminho de rosas.

Ana Menéndez (Córdoba, 1983) lutou contra os elementos pra fazer um buraco pela capital universal da indústria cinematográfica. Acaba de retornar à argentina pra ofertar um workshop sobre o assunto as chaves do sucesso na UCO. São 10 uma quente manhã de Correr. E a jovem produtora, a uma curta distância, é pura energia.

Trinta e cinco anos e um currículo grande. De onde tira a dinamite? Lhe-ei uma intimidade. Quando eu nasci, eu estava com a intenção de morrer. Por mês, deixei de digerir o leite de minha mãe. Estive 2 meses pela UVI. Não sabiam o que tinha. Eu estava morrendo. Me levaram a um pediatra famoso pela Suíça e descobriu que, se me alimentavam-se como uma doente celíaca meu corpo humano reagia. A partir deste momento, tive uma vontade de viver incríveis. E Miss Dynamita é seu nome de briga. Sim. Pela Faculdade me chamavam de “Anita Dinamite”. Quando cheguei aos EUA.

Estados unidos. e mergulhei a produtora me perguntei como a chamava. E eu disse: “eu Queria ser jornalista. Apresentador de noticiários. Matriculou-Se na Escola de Navarra em Comunicação Audiovisual e paradoxos da existência, suspendeu a disciplina de perfil mais jornalístico.

o Teu primeiro serviço, agora em Madrid, foi no programa “Ankawa”, divulgado por Bertín Osborne. Deste jeito ele se alistou na Liberdade de Tv Digital como redatora e ali prontamente verificou que o jornalismo não era o seu. A próxima fase foi em Londres, a capital britânica deu o salto pra Los Angeles pra fazer um mestrado em produção de cinema e televisão pela New York Film Academy.

Pois que é a meca do cinema. Se eu triunfo nos EUA, a vitória em todo o mundo. Eu imediatamente tenho triunfado em razão de estou cumprindo o meu sonho. Como Hollywood é ouro tudo o que brilha? Não. Hollywood é muito difícil. A cidade mais difícil, onde eu morei.

  • Mensagens: 2.331
  • Moreano, Alaejandro Equador: Passado e Presente. Quito. Edit. Universitária, 1976
  • Lauralvarez17 (discussão) 16:Trinta e três três jun 2017 (UTC)
  • três Em outros idiomas
  • Oxi Bithué

Há muita gente que não aguenta. Não. Dificultoso pela solidão. Uma cidade muito solitária. As distâncias são muito grandes e pra nós, os andaluzes, que somos de sangue quente e gostamos de estar com nosso público, é uma cidade que te esfria o coração. E esse é o preço que está pagando pelo sucesso. Sim, mas tive a sorte de construir a minha família lá. Tenho amigos há 10 anos. Gente que é de Los Angeles e não está envolvida na indústria do entretenimento.

Há muita gente que chega e se vai. E os outros nos inserimos e tolerá-la como jabatos. Trabalhou você pra Sony, Warner, EMI, a Mediaset, ou RTVE, e foi direcionado pra Pau Gasol, Elsa Pataky, Gloria Trevi, Pablo Alborán ou Claridade Casal. Onde está o truque?

A chave do sucesso está na autenticidade. Nossa indústria é um balanço maravilhoso entre quem você é como artista, qual é a tua tarefa e o que te faz único, para colocar tudo isso a serviço de um pc. O sucesso pra mim é acordar a cada manhã e prosseguir vivendo meu sonho. Cheguei com duas malas cheias de sonhos e sem perceber ninguém.