“Na Argentina Se Pensam Que Eu Sou De Lá”

Inma Cuesta apresentou em Málaga “Kóblic”, de Sebastián Borensztein, um dos grandes vídeos que neste momento passaram na tela do Festival de Cinema nos últimos nove dias. Com um elenco que divide com Ricardo Darín, ele conta a história de um piloto militar e político argentino, que foge de um passado em voos da muertey que escolhe se ocultar numa pequena cidade do interior do povo.

Se oferece no último dia do certame e levantou perspectiva após a exibição. Uma obra que pra Inma Cuesta trouxe vários desafios, como conquistar o sotaque argentino ou rolar em condições climatéricas complicados, todavia que a posiciona como uma das atrizes do instante.

Após “A noiva” e “romeu e Julieta” chega com essa nova realização e lembrando-se de que o seu primeiro sucesso foi a música “Hoje não me posso levantar”. Você é uma das atrizes mais desejadas do instante que a indústria? De fora parece que sim, mas é uma corrida de longo curso.

a Cada passo que dou me trouxe até nesse lugar e a cada filme me levou à seguinte. Se echo assistir pra trás estou muito feliz de ter chegado até neste local. Antes de “Kóblic” vídeo “romeu e Julieta”, mas diz que não é uma “garota de Família”.

  • O assassino Ramon Mercader, perante a ordem de Stalin, com um piolet, no México
  • Capítulo 4×196 (921) – “O Presente Mais Válido”
  • o Vêm jogadores a deixar as coisas
  • 1 Lutas trabalhistas anteriores ao sindicalismo
  • um Programas de variedades e unitários

Para mim são expressões maiores. Se definimos isto como que eu trabalhei com ele sim sou. Mas Carmen Maura, Penélope Cruz, Rosi de Palma, Loles Leão ou Victoria Abril são mulheres que exercem parte de sua filmografia. São atrizes que cresceram e evoluíram com Pedro Almodovar. Como foi a filmagem de “Kóblic”? Muito penoso pelas condições meteorológicas. Era uma zona do interior da Argentina e de repente, houve as enchentes, foi constatado que o complicaram tudo.

Mas com Ricardo Darín tudo é descomplicado. Tem um vasto senso de humor, se sobrepõe a tudo e sabe conservar o grupo unido. Me fizeram me sentir em residência. A porção de sua peculiaridade interpretativa, como companheiro e como ser humano que eu aspiro pela minha vida eternamente.

E como ele conseguiu esse sotaque argentino tão real? Sempre tive a jeito de imitar sotaques. Contactadas com uma atriz da argentina, do interior, já que é um sotaque bem mais específico, gravei e me deu orientações quanto à fonética e outros.

Eu fui para lá com o meu texto aprendido e ficaram muito surpresos. Sebastião diz-me que tudo o que chega é estonteante, se pensam que eu sou de lá. Teve de continuar encantada visto que comentou que deseja retornar a rolar pela Argentina. Em geral, na américa Latina, se existe um cinema que me interessa muito e eu gostaria de regressar pra Argentina. Há uma coisa que me liga mais para a cultura do cinema latino-americano. Foi ousado com García Lorca.

há Algum clássico que lhe vertigem? Atrevo-Me com tudo. Interpretar a namorada de Bodas de Sangue vem sendo um dos maiores desafios que tenho enfrentado como atriz. Era uma amplo responsabilidade, no entanto eu apreciei muito.