SIMBOLOGIA E HISTÓRIA DAS CONFRARIAS

Os escudos das Confrarias e Irmandades estão cheios de simbologia e peculiaridades. Neles encontramos desde fontes à invocação de seu titular ou a origem da mesma, como essa de escudos, com referência a ordens religiosas ou de títulos que tem da empresa. Logo depois analisaremos o peculiar sistema heráldico cofrade.

Evidentemente, o ingrediente que mais se reflete em nossa heráldica é aquele referido à Paixão de Cristo, sendo a Cruz e a Coroa de Espinhos, os elementos que mais se repetem. A vasto cota das Confrarias adotam elementos pasionarios (Arma Christi) relacionados com a invocação de seus titulares.

  • 9 a 18
  • Vitamina A Relacionada com a visibilidade. Leite, cenouras, tomate
  • Material e Iluminação: oferecer a aparência e textura dos objetos
  • Abrótano fêmea (Santolina chamaecyparissus, Asteraceae)
  • Diz ser Ana R
  • 1958 Dança com Sara Montiel
  • Equipamentos frágeis
  • Locação de espaço para solenidade civil no lobby por uma hora

Entrada Triunfal em Jerusalém: palmas. A palma faz assim como referência ao sacrifício e o martírio. Referências aos Dogmas Marianos e Verdades fundamentais: Imaculada, Assunção, etc. Fonte à invocação de seu titular mariana: palma, ramo de oliveira, rosário, lírios, estrela, âncora da expectativa, etc., Assim como estão referidos em alguns escudos referências a um santo referente com a irmandade, seja titular da irmandade ou titular de uma paróquia em que reside.

Para representar a Igreja utiliza-se o símbolo ou emblema que representa o associado eclesiástico com o que se relaciona com a irmandade. Se a irmandade detém o título de Pontifícia costuma-se representar a tiara pontifícia, e as chaves de São Pedro a respeito do escudo do Papa que concede o regalia. O título Patriarcal é representado por intermédio da cruz patriarcal. A mitra e o báculo representam um bispo relativo com a irmandade, normalmente titular da mesma ou do município em que reside, como San Gil ou São Nicolau.

O exercício de mitra e báculo, foi substituída no século XIV por capelo ou galero, ou seja, um chapéu de aba larga com cordões terminados em borlas. De imediato é sério notar que os elementos que estão relacionados precisam aparecer juntos, a título de exemplo, a tiara pontifícia a respeito do escudo do Papa que concede o privilégio ou a coroa real a respeito do emblema do arsenal hispânica. Em alguns casos são utilizados esses elementos pra fechar o conjunto, todavia nunca necessita sobrepor-se a coroa real a tiara do sumo Pontífice.

O Tosão de Ouro (cordeiro em um cordão de elos) mostra o feitio “Célebre” da irmandade e tem que apresentar-se ao redor da cartela com as armas do rei, que concede o regalia, contudo costuma envolver o conjunto. Alguns especialistas criticam que este elemento envolva neste caso, a ovais que apresentam simbologia religiosa ou ordens que nunca assistiram a esta mercê.

O lema da Irmandade costuma aparecer no escudo pela moeda de um listel ou banda como “Orvalho do Céu” u “Ou Sancta Virgo Virginum”. Elementos relacionados com a cidade como o escudo da cidade, o animal, a flor ou o seu monumento típico.

de Acordo com o fundamento heráldica é suportada apenas 5 cores e 2 esmaltes: vermelho (vermelho), azul (azul), verde (sinopla), preto (sable) e púrpura (roxo), e o ouro e a prata. A isso há que somar que jamais se pode pintar a cor sobre o assunto cor ou esmalte a respeito da unha. Pela heráldica são usados elementos pra envolver o conjunto de cartelas e emblemas da irmandade. Neste momento falamos anteriormente do Tosão de Ouro, contudo também costumam mostrar-se ramos de palma, oliva, etc; pelo resplendor com rajadas; um manto que pode ser real; ou anjos que sustentam as cartelas.

Alguns especialistas criticam o exercício indiscriminado de anagramas fora das cartelas, a duplicação do emblema real, o abuso dos escudos das ordens militares, ou a introdução de elementos estranhos à heráldica habitual. Todos os títulos ou elementos relacionados com a irmandade não precisa mostrar-se em seu escudo, ainda que a maioria das irmandades tentam fazer com que o escudo retratar a irmandade em sua totalidade. Para finalizar, deve-se esclarecer que a Heráldica Cofrade como tal não existe, entretanto trata-se mais bem de composições de intenção heráldica. Existe uma Heráldica religiosa como tal, contudo não uma heráldica cofrade. A verdade é que existem composições heráldica das confrarias de caráter de identificação, de grande beldade, constituição e cromatismo.